terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Sei lá...

Henri Matisse
Tem dias que eu fico
Pensando na vida
E sinceramente
Não vejo saída
Como é, por exemplo
Que dá pra entender
A gente mal nasce
Começa a morrer
Depois da chegada
Vem sempre a partida
Porque não há nada
Sem separação

Sei lá, sei lá A vida é uma grande ilusão Sei lá, sei lá Só sei que ela está com a razão
A gente nem sabe Que males se apronta Fazendo de conta Fingindo esquecer Que nada renasce Antes que se acabe
E o sol que desponta
Tem que anoitecer
De nada adianta
Ficar-se de fora
A hora do sim
É um descuido do não

Sei lá, sei lá
Só sei que é preciso paixão
Sei lá, sei lá
A vida tem sempre razão.

Vinícius de Moraes (1913-1980)

Nenhum comentário: