segunda-feira, 31 de maio de 2010

Judeus Carniceiros de Israel Atacam
Ajuda Humanitária à Gaza

com a benção de Obama e Hilary.

Que situação hein?
Procuro uma alegria
uma mala vazia
do final de ano
e eis que tenho na mão
— flor do cotidiano —
é vôo de um pássaro
é uma canção.

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)
Estou a caminhar para sempre nestas costas desse mar,
Entre a areia e a espuma das ondas,
A maré alta vai apagar as minhas pegadas,
E o vento vai soprar a espuma para longe.
Mas o mar e a costa vão permanecer
Para sempre.

Khalil Gibran (1883-1931)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Que dias há que na alma me tem posto
um não sei quê, que nasce não sei onde,
vem não sei como, e dói não sei porquê.

Luis Vaz de Camões (1524-1580)
Leio e estou liberto,
adquiro objetividade.
Deixei de ser eu e disperso.
E o que leio, em vez de ser
um trajo meu que mal vejo e por vezes me pesa,
é a grande clareza do mundo externo.

Fernando Pessoa (1888-1935)

quarta-feira, 26 de maio de 2010

“Se de tudo fica um pouco,
mas por que não ficaria
um pouco de mim? no trem
que leva ao norte, no barco,
nos anúncios de jornal...”

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)
Seymour Garstin Harvey
Não, eu não odeio as pessoas.
Só prefiro quando elas não estão por perto

Charles Bukowski (1920-1994)

terça-feira, 25 de maio de 2010

A morte é a curva da estrada.
Morrer é só não ser visto.

Fernando Pessoa
O AMOR é que é essencial.
O sexo é só um acidente.
Pode ser igual
Pode ser diferente.
O homem não é um animal:
É uma carne inteligente,
Embora às vezes doente.

Fernando Pessoa (1888-1935)

domingo, 23 de maio de 2010

“O ofício da filosofia é serenar as tempestades da alma”.
Michel de Montaigne (1533-1592)
“A palavra é metade de quem a pronuncia,
metade de quem a ouve”.
Michel de Montaigne (1533-1592)
Os dois testes mais duros no caminho espiritual
são a paciência para esperar o momento certo
e a coragem de não nos decepcionar com o que encontramos.

(Paulo Coelho em Veronika decide morrer)
O pássaro desenha
No seu vôo estrangeiro
(Porque nada sabemos
De pássaros e vôos
E do impulso alheio)
Um círculo de luz.

E retoma depois
Numa azul claridade
Seus píncaros azuis.

Hilda Hilst (1930-2004)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

“Não há clandestinos no caminho espiritual”.
(Mestre Maa Ho Yang )

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Dorothea Lange
Resolvido a lutar contra a indigência,
Hoje, cheio de nobres intenções,
Cuida o governo das populações
Com a sociologia, a nova ciência.

SESC, SENAI, seguro, previdência
E muitas outras boas instituições
São, em nosso país, inovações
Que ao povo suavizam a existência.

Nada disso existia antigamente;
O pobre era animal desprotegido:
Trabalhava e comia, unicamente.

Hoje em dia é outra coisa! Não se come.
Mas existe o sociólogo incumbido
De estudar e medir a nossa fome.

Lisindo Coppoli

terça-feira, 18 de maio de 2010

“O verdadeiro amor é excepcional,
dois ou três em cada século, mais ou menos.
No restante do tempo,
há a vaidade ou o tédio”.

Albert Camus (1913-1960)

domingo, 16 de maio de 2010

"Oh, Filhos de Adão, com que esperteza vocês
se defendem daquilo que lhes pode fazer bem!"

(Aslam - Crônicas de Nárnia)
“Mais sábios que os homens são os pássaros. Enfrentam as tempestades noturnas, tombam dos seus ninhos, sofrem perdas, dilaceram as suas histórias. Pela manhã, têm todos os motivos para se entristecerem e reclamarem, mas cantam agradecendo a Deus por mais um dia. E vocês, portadores de nobres inteligências, que fazem com as vossas perdas?”.
Augusto Cury

sexta-feira, 14 de maio de 2010

“Que importa que já o saibas?
Só se sabe o que já nos não surpreende”.

Vergílio Ferreira (1916-1996)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Desejo a todos
que a vida seja exatamente assim:

encantadora e suave.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Estou sentado sobre a minha mala
No velho bergantim desmantelado...
Quanto tempo, meu Deus, malbaratado
Em tanta inútil, misteriosa escala!

Joguei a minha bússola quebrada
Às águas fundas... E afinal sem norte,
Como o velho Sindbad de alma cansada
Eu nada mais desejo, nem a morte...

Delícia de ficar deitado ao fundo
Do barco, a vos olhar, velas paradas!
Se em toda parte é sempre o Fim do Mundo

Pra que partir? Sempre se chega, enfim...
Pra que seguir empós das alvoradas
Se, por si mesmas, elas vêm a mim?

Mario Quintana (1906-1994)

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir? Sinta quem lê!

Fernando Pessoa (1888-1935)
Jim Warren
As ondas são anjos que dormem no mar,
Que tremem, palpitam, banhados de luz...
São anjos que dormem, a rir e sonhar
E em leito d'escuma revolvem-se nus!
E quando de noite vem pálida a lua
Seus raios incertos tremer, pratear,
E a trança luzente da nuvem flutua,
As ondas são anjos que dormem no mar!
Que dormem, que sonham- e o vento dos céus
Vem tépido à noite nos seios beijar!
São meigos anjinhos, são filhos de Deus,
Que ao fresco se embalam do seio do mar!
E quando nas águas os ventos suspiram,
São puros fervores de ventos e mar:
São beijos que queimam... e as noites deliram,
E os pobres anjinhos estão a chorar!
Ai! quando tu sentes dos mares na flor
Os ventos e vagas gemer, palpitar,
Por que não consentes, num beijo de amor
Que eu diga-te os sonhos dos anjos do mar?

Alvares de Azevedo (1831-1852)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

“A sabedoria que vem do alto
é primeiramente pura, depois pacífica,
moderada, tratável, cheia de misericórdia
e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia.”

(Epístola de Tiago - 3: 17)