sábado, 12 de outubro de 2013

Mulheres na Filosofia

Mulheres na Filosofia
Idade Moderna (Séc. XV - XVIII)
Parte 3
Teresa de Ávila (1515-1582) .
Freira carmelita e mística espanhola
Provavelmente o retrato mais fiel de Santa Teresa.
Trata-se de uma cópia de uma pintura original dela
feita em 1576, quando tinha 61 anos.
Santa Teresa de Ávila é sem dúvida, uma das mulheres mais admiradas da história da Igreja. Mesmo ateus e livres-pensadores a admiram. Esta freira mística escreveu um livro: "Celebração da Disciplina" que até hoje é muito discutido e apreciado.
Richard Foste, um guru da Contemplação nos diz: “Podemos descer da mente para o coração, mais que facilmente, através da imaginação... Não devemos desprezar a rota mais simples e humilde para chegar à presença de Deus... O próprio Jesus ensinou desta maneira, fazendo constante apelo à imaginação, e muitos dos mestres devocionais nos encorajam a fazê-lo”.
Santa Teresa de Ávila diz: “Quando eu não conseguia fazer reflexão com o meu entendimento, criava um retrato de Cristo dentro de mim”.
A oração prescrita por Teresa de Ávila às Quatro Mansões do Castelo Interior, é tida como um misterioso dom universal que Deus oferece a qualquer pessoa que deseje recebê-lo. A descrição de Teresa da fonte que fica cheia da nascente direta, Deus, está bem próxima das expectações dos Amigos para as orações, tanto públicas como particulares, nas quais eles se “sentam em pura quietude e silêncio de toda a carne e esperam pela luz”.
A compreensão do silêncio como uma arena ativa de condução e comunicação está muito próxima da compreensão monástica do silêncio. Basil Pennington fala do silêncio como “suficiente”. “No final, o monge aprende que Deus fala através do silêncio e pode ser ouvido em silêncio.”

A Doutora Devocional Teresa de Ávila
A Enciclopédia Americana nos informa que: Em 1560, com aprovação das autoridades eclesiásticas romanas, Teresa fundou o primeiro dos seus mosteiros, sobre a mais antiga e rigorosa regra carmelita. Foi durante esse mesmo tempo que em obediência ao seu confessor, ela escreveu ‘VIDA’, uma narrativa de suas experiências espirituais... Com aprovação de Roma [Teresa] estabeleceu vários outros mosteiros carmelitas...
Durante esse período (1563-1568), Teresa escreveu também para as freiras dos seus mosteiros "O Caminho da Perfeição" uma instrução sobre os métodos de oração e os significados do alcance da virtude. Em 1567, através de amizade com S. João da Cruz, ela começou a incentivar o estabelecimento dos mosteiros carmelitas reformados para homens.
Teresa de Ávila. Parece que ela foi atormentada pela moléstia na maior parte de sua vida. Em 1538, Teresa ficou muito doente “do que poderia ser malária” e em razão de alguns medicamentos experimentados, ela entrou “num estado de quase coma”, por três dias, e ficou sem andar por três anos.
Durante a sua moléstia e convalescença, ela fazia orações mentais diárias, as quais, por sua vez, conduziram-na a experiências com a oração mística.
Para Frei Betto, S. Teresa foi uma “feminista avant-la-lettre” que abriu espaço para mulheres numa igreja até então medieval e machista. Por pouco não foi condenada pela Inquisição, enquanto outras visionárias menos sortudas como Madalena da Cruz foram.
Frei Betto, enfim, parece subordinar a sabedoria de S. Teresa a lutas históricas (pelo feminismo, pelo “antropocentrismo”, contra uma igreja hierárquica e uma teologia abstrata) que ela supostamente ilustra. Depois dela, Deus deixaria de ser “um conceito” e viraria “uma experiência”.
Nada te perturbe, Nada te espante,
Tudo passa, Deus não muda,
A paciência tudo alcança;
Quem a Deus tem, Nada lhe falta:
Só Deus basta.
Eleva o pensamento, Ao céu sobe,
Por nada te angusties, Nada te perturbe.
A Jesus Cristo segue, Com grande entrega,
E, venha o que vier, Nada te espante.
Vês a glória do mundo? É glória vã;
Nada tem de estável, Tudo passa.
Deseje às coisas celestes, Que sempre duram;
Fiel e rico em promessas, Deus não muda.
Ama-o como merece, Bondade Imensa;
Confiança e fé viva, Mantenha a alma,
Que quem crê espera, Tudo alcança.
A maldade, a injustiça,
O abandono, não ameaçará,
Quem a Deus tem,
Mesmo que passe por momentos difíceis;
Sendo Deus o seu tesouro, Nada lhe falta.
Ainda que tudo perca, Só Deus basta.

Santa Teresa de Ávila

Nenhum comentário: