terça-feira, 17 de julho de 2012

James Joseph Jacques Tissot
Se eu pudesse fazia-te princesa,
rainha dos gatos, madressilva,
encontro à noite numa autoestrada,
flor de lótus a nascer do sangue.
Ou então ravina de onde a ave presa
do canto voasse à mais alta ogiva,
tomar por sua a lua incendiada
até que o voo interrompesse exangue.
Se soubesse, ao menos se soubesse,
na tua boca um beijo ir acender,
eu fazia-me dança e fazia-me prece,
ou fazia-me chama, rosa do amanhecer,
príncipe da treva que a razão desconhece.
Se soubesse, fazia-te mulher.

Bernardo Pinto de Almeida

Nenhum comentário: