quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

ÊXODO

Chegamos à planície, onde teus olhos
inventarão o azul dos horizontes
escandidos nas unhas, como os versos
na fábula dos dias impossíveis.
Aqui o tempo enrola seus casulos
de terras e de mares estrangeiros.
E o mito desenrola-se nas sedas
da longa solidão que desfazemos.
Nestes campos noturnos nosso povo
construirá seu reino na linguagem
da Terra Prometida, que buscávamos
neste êxodo sem fim, que agora finda.

Gilberto Mendonça Teles

Um comentário:

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Lindas palavras.

Doces, ternas, calmas...


Que sempre existam
sonhos a habitar teu coração.