sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Deus! Como é triste a hora quando morre...
O instante que foge, voa, e passa...
Fiozinho de água triste...
a vida corre...
em Hora que passa.

Florbela Espanca (1894-1930)

Nenhum comentário: