quarta-feira, 21 de julho de 2010

Há um tempo para o peixe
e um tempo para o pássaro.
E dentro e fora do homem,
um tempo eterno de solidão.

Paulo Mendes Campos (1922-1991)

Nenhum comentário: