terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Arte Naïf

Lucia Buccini -Pedrinho vai passear na vila.
O termo arte naïf aparece no vocabulário artístico, em geral, como sinônimo de arte ingênua, original e/ou instintiva, produzida por autodidatas que não têm formação culta no campo das artes. Nesse sentido, a expressão se confunde frequentemente com arte popular, arte primitiva por tentar descrever modos expressivos autênticos, originários da subjetividade e da imaginação criadora de pessoas estranhas à tradição e ao sistema artístico. A pintura naïf se caracteriza pela ausência das técnicas usuais de representação (uso científico da perspectiva, formas convencionais de composição e de utilização das cores) e pela visão ingênua do mundo. As cores brilhantes e alegres - fora dos padrões usuais -, a simplificação dos elementos decorativos, o gosto pela descrição minuciosa, a visão idealizada da natureza e a presença de elementos do universo onírico são alguns dos traços considerados típicos dessa modalidade artística.
Ana Maria Dias (1945) nasceu na capital paulista e passou a infância na histórica cidade de Porto Feliz, protagonista da maioria das cenas retratadas em suas telas. Os campos verdes, enriquecidos pela fartura das colheitas de milho, café e trigo, as brincadeiras infantis e as festas populares são interpretadas em cores vibrantes e luminosas.
Suas pinturas são citadas nos livros La Cite et les Naïfs e L'Arbre et les Naïfs, do Max Fourny, fundador do Musée D´art Naïf de L´lle, na França. A primeira individual, em 1980, foi no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, embora desde 1975 já participasse de coletivas.
Ana Maria Dias-Gift for My Mother
Ana Maria Dias-Nova Vida
Barbara Rochlitz. Nasceu na Polônia, em 1941. Veio para o Brasil com apenas 6 anos de idade, fixando-se com a família em São Paulo desde 1947.
Já foi premiada no Brasil. Portugal e Paris.
Barbara Rochlitz - Playing
Barbara Rochlitz – Paraíso Tropical
Malu Delibo (1947) é de Ribeirão Preto, onde viveu uma infância tranquila numa pequena propriedade rural, com os avós e bisavós paternos. Aos 10 anos, Malu mudou-se para São Paulo. Aos 32 anos iniciou sua vida artística.
A dedicação e a paixão pela pintura dão ao seu horizonte, à sua razão de ser. Uma artista criativa que dá alento à alma das pessoas. O resultado é sempre uma mensagem de amor. Hoje mora no interior de São Paulo.
Malu Delibo- Garden of Eden
Malu Delibo- Walk by line fields
Constância Nery nasceu em 1936 no interior de São Paulo - Ipiguá (SP). Depois transferiu-se para São Paulo. Começou a expor seus trabalhos em 1969, mas desde então tem participado de diversas mostras no Brasil e no estrangeiro.
Constância Nery- Nunca se viu tanto mamão
Constância Nery- Circo na Cidade

Nenhum comentário: