segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Duma outra infância, inventada...

Stanhope Alexander Forbes
Duma outra infância, inventada,
Guardo memórias que são
Reais reversos do nada
Que as verdadeiras me dão.

Estas, se acaso regressam,
Em tropel e confusão
Ao limiar-me, tropeçam
No corpo das que lá estão.

Assim, mentindo as raízes
Do meu confuso começo,
Segrego imagens felizes
Com que as funestas esqueço.

Reinaldo Ferreira (1922-1959)

Nenhum comentário: