domingo, 16 de novembro de 2014

O Homem

Joan Miró
Eis o homem,
Nu e essencial.
Corpo estendido sobre a terra,
Olhos voltados para o céu,
Gafanhoto pousado na mão de Deus.
Cabelos revoltos,
Barba que desponta,
Carne ainda virgem de pregos e espinhos.
Dentro do ovo,
A vida aspira irromper.
E o bater de asas da eternidade
Resgata o sonhador de seu torpor.
Adão que emerge da lama a cada instante,
Sopro sempre renovado.

Kabir (1440– 1518)
Poeta Hindu

Nenhum comentário: