domingo, 26 de maio de 2013

Canto de Xambioá

Foto da época da Guerrilha
Xambioá
Mata virgem e escura, foi lá
Que no meio da mata
Um amigo de infância
Tentou começar

Ah foi por lá
Onde o povo sofreu pra contar
Como um jovem sozinho
Valia por trinta
Em qualquer lugar

Ei Araguaia
Rio manso pra se navegar
Quando o braço da gente
Abraça a nascente
O novo raiar

Eh Marabá,
Altamira, Estreito, olhe lá
Ainda brilha até hoje
A vida do povo
Que morreu por lá

Ei meu irmão
Você fez renascer o sertão
E o maior contingente
Não viu o tamanho do seu coração

Pedra não para o caminho
Fogo não queima o luar
Eu já não canto sozinho
Canto em Xambioá.

Abílio Pacheco

Nenhum comentário: