quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Folheto

J. Mark Inman
Sou o comprimido calmante.
Atuo em casa,
sou eficaz na repartição,
sento-me no exame,
apresento-me em tribunal,
colo minuciosamente a louça partida.
Basta que me tomes, que me ponhas debaixo da língua,
que me engulas
com um copo de água.

Sei o que fazer na desgraça,
como aguentar a má notícia,
diminuir a injustiça,
desanuviar a falta de Deus,
escolher o chapéu de luto a condizer.
Por que esperas?
Confia na piedade química.

Wislawa Szymborska
(1923-2012)
Tradução: Elżbieta Milewska e Sérgio das Neves

Nenhum comentário: