quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Li Qingzhao
O céu escurece, começa a ventar e cai a chuva,
Levando embora o calor sufocante
Ela arruma no estojo a flauta de bambu
Antes de se maquiar diante do espelho.

A seda púrpura do seu penhoar é tão fina
Que se pode entrever sua pele, lisa e perfumada.
Sorrindo, ela diz: amor, esta noite,
Atrás da cortina de gaze, fresca será nossa cama.

Li Qingzhao
Tradução: Sérgio Capparelli

Nenhum comentário: