segunda-feira, 23 de abril de 2012

Arcadismo

Arcadismo
Jean-Antoine Watteau
O Arcadismo, também conhecido como Neoclassicismo, surgiu no continente europeu no século XVIII, durante uma época de ascensão da burguesia e de seus valores sociais, políticos e religiosos. Esta escola literária caracterizava-se pela valorização da vida bucólica e dos elementos da natureza. O nome originou-se de uma região grega chamada Arcádia (morada do deus Pan).
Os poetas desta escola literária escreviam sobre as belezas do campo, a tranquilidade proporcionada pela natureza e a contemplação da vida simples. Portanto, desprezam a vida nos grandes centros urbanos e toda a vida agitada e problemas que as pessoas levavam nestes locais. Os poetas arcadistas chegavam a usar pseudônimos (apelidos) de pastores latinos ou gregos.

O Arcadismo no Brasil
No Brasil, o arcadismo chega e desenvolve-se na segunda metade do século XVIII, em pleno auge do ciclo do ouro na região de Minas Gerais. É também neste momento que ocorre a difusão do pensamento iluminista, principalmente entre os jovens intelectuais e artistas de Minas Gerais. Desta região, que fervia culturalmente e socialmente nesta época, saíram os grandes poetas.
Entre os principais poetas do arcadismo brasileiro, podemos destacar:
  • Cláudio Manoel da Costa (autor de Obras Poéticas),
  • Tomás Antônio Gonzaga (autor de Liras, Cartas Chilenas e Marília de Dirceu),
  • Basílio da Gama (autor de O Uruguai) ,
  • Frei Santa Rita Durão (autor do poema Caramuru) e
  • Silva Alvarenga (autor de Glaura).
    Características do Arcadismo:
    As principais características das obras do arcadismo brasileiro são:
  • valorização da vida no campo,
  • crítica a vida nos centros urbanos (fugere urbem = fuga da cidade),
  • uso de apelidos,
  • objetividade,
  • idealização da mulher amada, abordagem de temas épicos,
  • linguagem simples,
  • pastoralismo e
  • fingimento poético.

Nenhum comentário: