terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pierre-Auguste Cot
Deixei enfim de pedir
Eternidade ao amor

Aceito o ritmo sem ritmo
Que há por dentro desse ritmo
Que não se vê não se ouve
Mas eu sinto deslumbrado
Quando os teus olhos acendem
Os corredores da noite.

Alberto Lacerda

Nenhum comentário: