sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Razão não tenho para os homens amar
Nem eles uma para amar-me têm;
À sua vileza cega não sei estar
E também eles toda a vileza veem.
Ódio em palavras, por saciar,
Sabendo já que por todos seria
Incompreendido;
Fosse eu falar
E deles ignoto continuaria.
Um ódio mútuo que de instinto vem
Oculto em sorrisos, mal nos suportando.
A bondade humana, conheço-a bem,
Odeio os homens, “irmãos” lhes chamando.

Fernando Pessoa (1888-1935)

Nenhum comentário: