sexta-feira, 17 de setembro de 2010

“A palavra nasce-me,
fere-me,
mata-me,
coisa-me,
ressuscita-me”.

Murilo Mendes (1901-1975)

Nenhum comentário: