domingo, 4 de julho de 2010

20 anos sem Cazuza
Cazuza nasceu Rio de Janeiro em 4 de abril de 1958 e morreu em 7 de julho de 1990, também no RJ.
Cazuza foi uma figura polêmica com uma vida tumultuada. Contraiu AIDS em 1985, mas começou a piorar a partir d e 1987. Na época ainda não havia tratamento adequado para esta doença. A primeira droga para ajudar no tratamento da doença, o AZT, só é criada em 1987, mas começa a ser produzido no Brasil a partir de 1993. Hoje o Brasil é referência no tratamento da AIDS, inclusive distribuindo gratuitamente esse medicamento para os portadores da doença.
Após sua morte, seus pais fundaram a Sociedade Viva Cazuza em 1990, cujo objetivo é proporcionar uma vida melhor à crianças soropositivas através de assistência à saúde, educação e lazer .
Em apenas nove anos de carreira, Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 para outros intérpretes.
Abaixo a letra de uma música que ele fez e mostra bem os anseios de sua geração.

Amor, meu grande amor
Não chegue na hora marcada
Assim como as canções como as paixões
E as palavras
Me veja nos seus olhos
Na minha cara lavada
Me venha sem saber
Se sou fogo ou se sou água
Amor, meu grande amor
Me chegue assim bem de repente
Sem nome ou sobrenome
Sem sentir o que não sente
(Refrão)
Que tudo que ofereço
É meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim até o começo.


Amor, meu grande amor
Só dure o tempo que mereça
E quando me quiser
Que seja de qualquer maneira
Enquanto me tiver
Que eu seja a ultima e a primeira
E quando eu te encontrar, meu grande amor
Me reconheça
(Refrão)
Amor, meu grande amor
Que eu seja a ultima e a primeira
E quando eu te encontrar, meu grande amor
Por favor, me reconheça.

Nenhum comentário: