sexta-feira, 9 de abril de 2010

Canção de Outono
Lord Frederick Leighton
Estes lamentos
Dos violões lentos
Do outono
Enchem minha alma
De uma onda calma
De sono.

E soluçando,
Pálido, quando
Soa a hora,
Recordo todos
Os dias doidos
De outrora.

E vou à toa
No ar mau que voa.
Que importa?
Vou pela vida,
Folha caída
E morta.

Paul Verlaine
Tradução: Guilherme de Almeida

Nenhum comentário: