quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Vincent Jean Baptiste Chevilliard
“Um punhado de personagens literários
marcou minha vida de maneira mais durável
que boa parte dos seres de carne e osso que conheci.
(...) o personagem literário pode ser ressuscitado
indefinitivamente, com o mínimo esforço
de abrir as páginas do livro e deter-se nas linhas adequadas”.
Mario Vargas Llosa
A orgia perpétua - Flaubert e "Madame Bovary".

Nenhum comentário: