quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Que Mimo!

Ethel Porter Bailey
Tu és morena e sublime
Como a hora do sol posto.
E, no crepúsculo eterno
Que te envolve o lindo rosto,
O céu desfolha canduras
De alvoradas e jasmins,
E passam roçando n'alma
As asas dos querubins...

Teu corpo que tem o cheiro
De cem capelas de rosas,
Que t'enche a roupa de quebros,
De ondulações graciosas,
Teu corpo derrama essências
Como uma campina em flor:
Beijá-lo!... Fora loucura;
Gozá-lo!... Morrer de amor...
Tobias Barreto (1839 - 1889)

Nenhum comentário: