segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Camille Pissarro
Há versos que são como um jardim depois da chuva: deixam em nós a sensação de água caindo, caindo em bolhas trêmulas da ponta das folhas, escorrendo da pele macia das pétalas, pingando nos galhos lavados, gota a gota, pingando no ar... Versos que cheiram a terra molhada, versos que são como jardim depois da chuva...
Ronald de Carvalho (1893-1935)

Nenhum comentário: