quinta-feira, 14 de julho de 2011

Monumento aos Heróis da
Revolução Constitucionalista de 1932
no Cemitério da Saudade, em Campinas.
“Não é túmulo, é berço. É sementeira de ideal;
balizado futuro; pista,
Rastro de heróis na terra campineira
Sobre eles, cor a cor, lista por lista,
Eternizou seu vôo essa bandeira,
Petrificou-se o pavilhão paulista.
Bandeirantes, por vós, nesta jazida,
Valem as pedras, que esta morte é vida”.

Guilherme de Almeida (1860-1969)

Nenhum comentário: