quarta-feira, 30 de março de 2011

Quem fez ao sapo o leito carmesim
De rosas desfolhadas à noitinha?
E quem vestiu de monja a andorinha,
E perfumou as sombras do jardim?

Quem cinzelou estrelas no jasmim?
Quem deu esses cabelos de rainha
Ao girassol? Quem fez o mar? E a minha
Alma a sangrar? Quem me criou a mim?

Quem fez os homens e deu vida aos lobos?
Santa Tereza em místicos arroubos?
Os monstros? E os profetas? E o luar?

Quem nos deu asas para andar de rastros?
Quem nos deu olhos para ver os astros?
- Sem nos dar braços para os alcançar?

Florbela Espanca (1894-1930)

2 comentários:

GUIOMAR disse...

DEUS...SÓ ELE PODERIA FAZER TUDO ISSO.Essa roseira ficou mais linda na sua página.

José Sousa disse...

Olá amiga Maria José!
Adorei o seu poema e serei seu seguidor.
Quanto ao comentário que fez lá no meu blogue! Não lhe vou responder aqui, pois acho que ficaria mal! Aqui venho para comentar o bem que escreve. Mas, volte lá, pois deixei um comentário às suas palavras e de outros.

Um beijão