segunda-feira, 30 de julho de 2012

Edward Munch - O Grito
É o gigante da alma que me segue
Marcando-me por dentro, todo e sempre
(Como os sonhos, os donos de mim mesmo).
Não consigo afastá-lo do caminho;
Pergunto-me, duvido, adio, fujo
Conhecendo-me nunca intimamente.
São dezenas de sonhos, são projetos
De rasgos voluntários sem começo,
São estrelas perdidas no escuro
De uma infância culpada do presente,
Cordilheira dos Andes do futuro.

Henrique Simas

Nenhum comentário: