sábado, 28 de abril de 2012

Às vezes, fico observando
a rapidez do tempo se esvaindo,
como que obedecendo a um comando,
fazendo com que a vida vá diminuindo.

Os minutos não cessam de correr,
como os pássaros que estão a voejar:
tão rápido que ninguém os pode suster,
nem conseguir as mãos, neles, pousar.

Bem que poderia ser mais lento,
para que pudéssemos ter mais encanto
até para apreciar o passar do vento,
enquanto estamos nesse recanto.

O tempo é sempre inclemente;
chega rápido para nos fustigar,
transformando a vida da gente
num eterno e triste recordar.

Maria Tomasia

Nenhum comentário: