terça-feira, 4 de outubro de 2011

Stephen Gjertson
Venho do Sono,
desse fluido país
do pensamento visível,
dos endereços divinos,
dos nomes de amor,
das gloriosas ressurreições.
Venho do Sono.
Aí! distâncias profundas…
E olho-me ao espelho.

Cecília Meireles (1901-1964)

Nenhum comentário: