sexta-feira, 22 de julho de 2011

Organização Mundial da Saúde

Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte:
Receber atendimento em qualquer hospital do mundo é mais arriscado do que viajar de avião.
Milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência de erros médicos e infecções adquiridas em hospitais. Diante dessa situação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quinta-feira que ir a um centro médico é mais arriscado do que viajar de avião.
- Se você for internado em um hospital em qualquer país, sua chance de ser vítima de um erro médico é de uma em dez. E a probabilidade de morrer em decorrência dele é de uma em 300 - disse Liam Donaldson, recém-nomeado responsável pela segurança do paciente na organização. A título de comparação, de acordo com Donaldson, o risco de um passageiro morrer numa viagem aérea é de cerca de um em dez milhões de pessoas.
- Isso mostra que a assistência à saúde no mundo todo ainda tem um longo caminho a percorrer - disse.
Centenas de milhões de pessoas sofrem de infecções em decorrência de atendimento médico. Mais de 50% das infecções adquiridas podem ser evitadas se os profissionais de saúde lavarem as mãos com água e sabão ou álcool antes de tocar nos pacientes.
De todos os cem pacientes hospitalizados, sete nos países desenvolvidos e dez nos em desenvolvimento vão adquirir ao menos uma infecção, segundo a OMS.
- Quanto mais tempo os pacientes ficam nas UTIs, maior o risco de pegarem alguma infecção - afirmou.
Utensílios como catéteres estão associados às maiores taxas de contaminação.
- Os riscos são ainda maiores nos países em desenvolvimento, com cerca de 15% dos pacientes sendo contaminados - disse Benedetta Allegranzi, de um programa de assistência médica segura da OMS.
- Se as recomendações forem adotadas em todo o mundo, estimamos que 50 mil mortes podem ser evitadas por ano.

Esse texto está em todos os sites.
* A imagem é por minha conta.

Nenhum comentário: