quinta-feira, 9 de junho de 2011

Cesare Battisti está livre
A ministra italiana da Juventude, Giorgia Meloni, qualificou na noite de quarta-feira de "ato indigno de nação civilizada e democrática" a decisão do Supremo Tribunal do Brasil de não extraditar o ex-ativista de esquerda Cesare Battisti, condenado na Itália por quatro assassinatos.
"A decisão dos juízes do Supremo brasileiro de não autorizar a extradição de um criminoso como Battisti representa a enésima humilhação para as famílias de suas vítimas", declarou Meloni, citada pela agência Ansa.
Bem…
E os italianos são algum exemplo de civilidade? Em muitas épocas viveram sob ditaduras, na antiguidade com os imperadores de Roma e na fase contemporânea com o fascismo. Também apoiaram o extermínio de seus compatriotas sob o comando de Benito Mussolini (adorado pelos italianos), agora perseguem Battisti?
A nação civilizada deveria apoiar as decisões soberanos de nosso país, pois, o Brasil não é um protetorado da Itália, mas uma nação autônoma.
Sem contar que o atual primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi está envolvido num escândalo com prostituição de menores.
A França foi um refúgio seguro antes de Battisti vir pra cá: por que os italianos não rugiram assim para os franceses? Tem medo das baguetes e chutam os papagaios?
Civilizada a Itália país notoriamente relacionado às máfias e à corrupção, bem que poderia ter agilizado a transferência do banqueiro Caciola ao Brasil. Como ele possuía cidadania italiana, os comedores-de-pizza-e-canelone (duas delícias!) não quiseram cooperar conosco, dando vida boa para o Caciola, que morava ao lado do Vaticano, ao invés do Battisti, que ficou na carceragem de cadeia. Portanto, nessa hora, deveriam olhar para o seu conceito de justiça e ver se foram civilizados também.

Nenhum comentário: