sexta-feira, 28 de maio de 2010

Leio e estou liberto,
adquiro objetividade.
Deixei de ser eu e disperso.
E o que leio, em vez de ser
um trajo meu que mal vejo e por vezes me pesa,
é a grande clareza do mundo externo.

Fernando Pessoa (1888-1935)

Nenhum comentário: